terça-feira, 11 de março de 2014

Calvinismo, Catolicismo Romano e Suas Semelhanças

 
              
                    


     Os calvinistas sempre associam arminianismo com catolicismo romano. Por muito tempo venho lendo e ouvindo isso. Mas o mais curioso é que em julho do ano passado eu fiz umas pesquisas e descobri que quem tem mais em comum com o catolicismo romano é o calvinismo. Perguntei até a católicos romanos versados em teologia para que eu não concluisse nada absurdo. Pasmem! Vamos às comprovações. Entre os séculos XVII e XIX houve polarizações na soteriologia quanto a tomistas e molinistas. 
   
     Tomistas são os que seguem Tomás de Aquino (1225-1274), considerado pelo catolicismo romano como o teólogo mais destacado da igreja católica romana, um pouco acima de Agostinho de Hipona (354-430). É notório que Aquino é muito difícil de entender, haja visto sua falta de clareza e prolixidade em muitos de seus escritos. Porém, é fato comprovado que os tomistas defendem algo parecido com o que os calvinistas creem, diferente dos molinistas, que seguem os pensamentos de Luis de Molina (1535-1600) que cria em algo parecido com o que os arminianos creem. Com isso, vamos a uma análise!

  • Tomistas e calvinistas creem numa predestinação restrita que tem como sua base a eleição incondicional de algumas pessoas acompanhada de uma graça eficaz em tais eleitos incondicionalmente. (ante praevisis meritis)
  • Molinistas e arminianos creem numa eleição condicional de pessoas que, por meio da graça divina, capacita todos para andarem no caminho da fé e serem eleitos. (praevisis meritis)
      Levando em consideração que o tomismo é aceito como o posicionamento oficial do catolicismo romano, conclui-se que o calvinismo está mais para o catolicismo romano do que o arminianismo. Evidencia-se, com isso também, a falácia de muitos calvinistas escreverem até artigos como "Arminianismo, um caminho para Roma", quando, na verdade, são os calvinistas que estão num caminho de volta a Roma (baseado nos argumentos de tais calvinistas!).

     Vale a pena destacar também que com esse breve artigo cai-se o mito de que o catolicismo romano é semipelagiano, pois tanto o tomismo quanto o molinismo enfatizam a iniciativa divina para a eleição e salvação. Parece que muitos calvinistas somente conhecem o que o calvinismo prega, enquanto que ignorante do que tanto o arminianismo quanto o catolicismo romano pregam. O que o deixa numa situação de ignorância teológica imensa, pois, o calvinismo está mais para o catolicismo romano do que o arminianismo para este.

     Convém também aludir que o Papa Paulo V, mediante uma intensa discussão calorosa entre tomistas e molinistas por volta dos séculos XVII e XIX, decretou que, embora o tomismo seja o pensamento oficial do catolicismo romano, um molinista não é menos católico por causa disso, haja vista essa questão da predestinação e eleição serem muito enigmáticos.

     Tudo isso pode ser conferido em qualquer pesquisa relacionada ao tomismo e molinismo em materiais de busca na internet.

      Graça e Paz em Cristo Jesus!