terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O Abismo da Sensualidade

  
    Vivemos em um período em que a sensualidade está em todo canto. Por onde quer que passemos, lá está uma mulher ou um homem despertando libido aos que os vêem. O que se fazer? Resistir e ser tido como piegas ou ceder à sensualidade? Prefiro a primeira opção.

    "Ficar", um verbo que, há mais ou menos uns quinze anos, ganhou uma nova definição. É simplesmente beijar sem compromisso. O curioso é que há "ficantes", e estes, como não têm compromisso com os seus "companheiros ficantes", "ficam" com mais pessoas, mesmo tendo os seus "ficantes" fixos. Acho isso loucura! Satisfazer os desejos carnais sem compromisso algum. É cabível satisfazer tais desejos, mas o recomendável é que seja com uma única pessoa, e (o que é loucura para os não-cristãos) para o resto da vida. É, sou piegas! Mas, não sou um falso moralista!

    Mas, como boa parte da comunidade evangélica gosta de imitar os valores que não são os do Evangelho, mas sim os do mundo, há o "fica gospel". É! Fico surpreso também! O negócio é que quando cai na rotina de "ficar", o próximo passo é cair na rotina de ter relações sexuais. Estou sendo radical? Acho eu que não. É comprovação mesmo!

    Esse é um texto de reflexão. Não escrevo para condenar ninguém que, ao ler, não concorde, porque "fica", mas, como eu escrevi, para avaliar isso.

    No mais, Deus nos abençoe!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fluminense: Campeão Brasileiro 2010


Parabéns ao Fluminense. Mereceu ganhar seu 2º título brasileiro. Conca, sem dúvidas o melhor jogador não só do Fluminense como do Campeonato Brasileiro de 2010.

Fluminense 
Campeão Brasileiro 2010

Obs: Não torço pro Fluminense. Sou torcedor do Vozão!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

FUTEBOL: Uma de minhas paixões!

                                                      

    Bem. Chegou a hora d'eu falar de um esporte que me encanta e sempre me encantará. Futebol. Desde pequeno, mais precisamente em 1993, interessei-me nessa paixão e nunca vou me "desapaixonar". Fico empolgadíssimo, quase em êxtase, quando vejo uma ótima partida de futebol.

    Para transparecer sobre quem, nesses quase vinte anos de paixão, me fez vislumbrar tratando bem a "redonda", coloco abaixo os 20 (vinte) melhores jogadores que eu vi jogar, com referência entre parênteses de dois que clubes que atuaram (ressalto os que eu vi, não os "monstros" maravilhosos que não pude deleitar-me vendo porque o Pai amado quis que eu nascesse depois. [risos]). Enfatizo que são os 20 melhores que vi jogar até agora (29/11/2010). Pode mudar daqui a uns seis meses. Mas quando fizer uma nova lista, não será só de 20, porém com mais, para não deixar esses que me encantaram de fora.

    Vejam:

1º Rivaldo (Barcelona e Palmeiras)
2º Ronaldo (Barcelona e Real Madrid)
3º Ronaldinho (Barcelona e Paris Saint-Gemain)
4º Romário (Barcelona e Vasco da Gama)
5º Zidane (Real Madrid e Juventus)
6º Alex (Palmeiras e Cruzeiro)
7º Adriano (Internazionale de Milão e Flamengo)
8º Figo (Barcelona e Real Madrid)
9º Cristiano Ronaldo (Manchester United e Real Madrid)
10º Riquelme (Boca Juniores e Barcelona)
11º Bergkamp (Arsenal e Ajax)
12º Henry (Arsenal e Barcelona)
13º Kaká (Milan e São Paulo)
14º Edmundo (Vasco e Palmeiras)
15º Messi (Barcelona, só este até agora)
16º Nedved (Juventus e Lazio)
17º Neymar (Santos, só este até agora)
18º Conca (Fluminense e River Plate)
19º Clodoaldo (Fortaleza e Ceará)
20º Sérgio Alves (Ceará e Bahia)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Vítima de Falsa Profecia

    

     Não me considero um pentecostal, entretanto, creio convictamente nos dons do Espírito Santo, o que não é característica exclusiva dos pentecostais. Não me considero um protestante histórico também. Considero-me um cristão protestante (ou evangélico, como queiram) livre de rótulos pífios.

     Estive em muitos eventos pentecostais como vigilhões, orações de "poder", igrejas que são muito "avivadas", etc. Nunca, em nenhum momento, senti-me bem nesses eventos. Sempre queria que acabasse logo. Muitos gritos (muitos para quererem aparecer), muitas "danças" ridículas. Pregações sem sentido nenhum, falando de poder e que - Deus está contigo.

    Já fui vítima de uma falsa profecia. Mas não tenho ódio de pentecostais por causa disso. Há profecias verdadeiras, mesmo que nunca ouvi uma que se concretizasse na minha vida (ainda). A família de uma ex-namorada minha convidou-me a uma reunião de oração na casa de uma irmã, amiga da família, no 1º dia do ano de 2009, aceitei o convite e fui à essa "bendita" reunião. Chegando lá essa irmã viu meu jeito tímido e, muito sagaz, disse para mim: " Meu filho ore aí pra começar, pra ver como você ora". Pra ver como eu oro? Aquilo era um teste? Pareceu um teste, sim. Orei, timidamente, mas orei. Depois, num momento de "revelações", ela veio me dizer, da parte de Deus (?) que eu estava pensando em me desviar e que eu deixasse esses pensamentos. Aí eu fiquei pensando qual deus falou isso pra ela? Depois da reunião ela ainda me constrangeu em dizer que para eu namorar com a minha vigente namorada, hoje ex-namorada, eu deveria ser muito "espiritual". A família da minha ex-namorada me perguntou se eu estava pensando em me desviar, eu disse que não. Aí sua família disse que poderia ser que eu não me tocasse que sim, mas poderia ser que eu pudesse me desviar. Eu disse categoricamente que NÃO, não pensava, nunca, em me desviar. Mas para a família dela, como eu poderia duvidar da "profetiza" que era amiga da família! E o tempo foi caminhando.

     Na verdade, no final das contas, passados quase dois anos, quem se desviou foi minha ex-namorada (Que Deus a abençoe!). Eu CONTINUO DE PÉ. Todas as profecias que se dirigem a mim eu filtro. Se acontecer, é de Deus, se não, é da profetiza ou do profeta falso.

    Estejamos sempre em um relacionamento belo com o nosso Pai, vivendo os valores do Seu Reino, sabendo sempre diferenciar Sua voz da voz de falsos profetas.

Salvação e caráter em Cristo Jesus!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

2º Turno

    Respeito muito quem anulará seu voto no segundo turno. Mas meu pensamento é de votar, nem que seja no menos ruim. Marina Silva seria a candidata mais preparada no tocante à ética e a propostas consistentes. Mas, infelizmente, ela não foi para o próximo turno. Como, na minha forma de pensamento, anular o voto ou votar em branco é lavar as mãos (reitero, meu pensamento), votarei no menos ruim.
    José Serra é do mesmo partido de Fernando Henrique Cardoso, o nosso penúltimo presidente que queria privatizar tudo com sua política neoliberal. Quanto a Serra não tenho nada para falar em termos de caráter e ética, mas só em ser do mesmo partido, o PSDB, de FHC, já é o bastante para não votar nele, pois, se o fizer, estarei ajudando ao esquecimento da minha região, o Nordeste, justamente o que FHC fez. Também ajudarei para que o nosso país seja vendido ao capital estrangeiro, sem exageros de minha parte.
    Em relação a Dilma Rousseff, tenho muito do que questionar seu caráter. Incoerências, passado turbulento de rebeldia e posicionamentos transitórios fazem parte de sua vida política. Mas seu partido, o PT, é de nosso atual presidente, Lula, que, indiscutivelmente, fez muito mais do que FHC. Nossa economia cresceu, empregos aumentaram, diminuiu-se o índice de pobreza, dentre mais feitos.
    Com isso, por eliminação, sem muito gostar, voto em Dilma Rousseff. Não é de se comparar a Marina Silva, pois seria minimizar Marina, mas é melhor que Serra, de acordo com o que escrevi neste texto.

    Que Deus nos abençoe!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Daqui a 4 Anos a Esperança se Tornará Realidade

    Marina Silva, a única com ética e transparência absoluta, não foi para o segundo turno da presidência do nosso país. Mas, como muitos estão propagando, ela é a mais vitoriosa desse primeiro turno. Duplicou seu eleitorado. A única com visibilidade no exterior como uma pessoa influente e importante para a humanidade, contribuindo para o bem do meio ambiente. Programas de propostas claras e muito bem elaboradas.

    Tenho a esperança que nas próximas eleições para a presidência da república, Marina Silva se elegerá. Creio, com muito otimismo que tenho, que o povo brasileiro se tornará mais consciente. Não elegerá um palhaço (literalmente) a cargo nenhum e elegerá homens e mulheres para serem nossos representantes.

    Que Deus nos abençoe!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Eleições 2010

  

 As eleições se aproximam e há três candidatos presidenciáveis que estão à frente das pesquisas. Precisamos saber claramente quem tem o melhor perfil para governar o nosso país. Quatro anos é o tempo daquele ou daquela que assumirá a responsabilidade que lhe será delegada por todos os cidadãos brasileiros. Saber votar é imprescindível. Falando aos cristãos, aconselho a perceberem a política como algo de extrema importância. Não sejam alienados. Não devemos pensar num proselitismo religioso, em que o governante deve sempre favorecer a uma religião. Evangélicos se preocupam mais, quando se preocupam em política, na causa proselitista evangélica, não ligando que há outras religiões. Não devemos fazer como Calvino fez, exterminando quem era contrário as Escrituras. Nesse quesito, não há diferença entre católicos e protestantes.

    Daqui a dois dias, nas eleições, abordando as candidaturas da presidência da república, meu voto será para a Marina Silva. A única de todos os candidatos que tem um ótimo currículo político. Nada de levantamentos anti-éticos contra ela. Considerada internacionalmente como uma pessoa importante para a causa da manutenção do meio ambiente. Enfim. Muitas razões para ela ser a presidente do Brasil. Pensem nisso. Bom voto.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Religião, política e futebol

    Meus caros amigos. Daqui em diante, não falarei apenas de assuntos espirituais ou religiosos, mas também de assuntos políticos. Talvez, futuramente, fale do esporte mais praticado e preferido do mundo, o futebol. Agradeço a todos que me acompanham. Daqui pra frente postarei (tentarei) todos os dias.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Jesus

 
                                      video
 
     Banda: Queen

     Música: Jesus

        Toda a criação se dobrará perante o Senhor Jesus. A arte está a serviço dos dons e foi o nosso bom Pai quem nos deu. Podemos ver essa bela canção que foi entoada como um louvor, composta por um adepto de outra religião. Todos reconhecerão a soberania do nosso Redentor.

        Salvação e caráter em Cristo Jesus

sábado, 28 de agosto de 2010

A Falácia da Quebra de Maldições Hereditárias

   

 Muitas pessoas estão em quebra de maldição, mas, eu, no meu íntimo, não consigo compreender como há algo tão opressor no meio cristão como isso. Uma pessoa que sempre viveu com um determinado problema e depara-se com a Graça justificadora de Cristo Jesus, reconhece que é pecadora e, certamente, é liberta por Ele, depois ficará toda confusa ao colocarem-lhe essa idéia de quebra de maldição hereditária. Sem querer, ela acaba, erroneamente, notando que não adiantou sua decisão por Cristo, pois ainda tem que fazer algo mais.
    
    Pergunto-me. O sacrifício do Filho de Deus foi em vão? Estou enganado ou as Sagradas Escrituras nos falam que “se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co 5.17)? Meus irmãozinhos queridos, isso é ridículo. Em um ponto dessa teoria de quebra de maldições há o seguinte: “Alguém pode estar vivendo debaixo de maldição hoje, porque os pais fizeram votos, pactos com demônios no passado. Alguns entregaram tudo, consagraram toda família aos demônios, por isso hoje, eles têm direito legal de estarem agindo –Provérbios 18:21 e Tiago 3:8-12.” Os demônios têm direito legal naqueles que foram comprados e remidos pelo sangue do Cordeiro de Deus? Não acredito que há pessoas que pensam assim! Refuto-lhes propagando-lhes "Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo" Colossenses 2.14-15.

    Será que é difícil percebermos a Graça divina? Será que ainda há algum sacrifício a se fazer? “E não me lembrarei mais de seus pecados e de suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado” (Hebreus 10: 17,18) Não sejamos ridículos em nos envolvermos nessa falácia. O amor do nosso bom Pai está ao nosso alcance. Empenhemo-nos em nos laçar em Seus braços. Reitero que quebra de maldições é ridículo, além de ser uma blasfêmia enorme.

    Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (João 8:36)

Salvação e caráter em Cristo Jesus

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Relacionamento com o Pai

                                        
    
    Nosso relacionamento com o nosso bom Pai deve ser sem interesse algum. É difícil não querer isso com Ele, pois estamos falando acerca dAquele que é tudo em todos e em qualquer coisa que exista ou venha a existir. Somos impulsionados, pela nossa condição de dependência, a pedir sempre proteção e provisão em nossas orações. Tiago fala que pedimos mal as coisas a Deus: "Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres." (Tg 4:3 NVI). Sempre queremos que as nossas soluções sejam resolvidas, não as do próximo também.  Temos que repensar esse nosso relacionamento com Deus. 

    Barganhas e interesses estão presentes nas orações de muitos cristãos. Não me sinto bem quando em um acidente, há testemunhos de livramentos em detrimento da morte de muitas pessoas. Como a família dos que morreram ouvirão de bom grado a afirmação de que o Senhor livrou aquela pessoa que está testemunhando e o seu ente querido não? Deus não faz acepção de pessoas: " Pois em Deus não há parcialidade" (Rm 2:11 NVI). Por que sempre achamos que o Senhor é exclusivista? Temos, urgentemente, que remover de nossa mente qualquer tipo de exclusão, pois nosso bom Pai é inclusivista. Ele não precisa deixar de "proteger" alguém porque não Lhe segue. Diz-se que a cantora Madonna rechaçou qualquer ideia sobre Deus devido à morte de sua mãe. Disseram-lhe que Deus levou sua mãe e ela questionou o porquê disso, e, até hoje, tem uma imagem distorcida de Deus.

    Quantas pessoas não se aproximam de Deus devido acharem que não são "escolhidas" por Deus? Quantas pessoas se afastam dEle porque seus entes queridos morreram numa tragédia e houve cristãos que disseram que foram livrados por Deus e as outras pessoas não? Creio que o Senhor livra alguém sim, mas não tenho a pretensão de dizer que ele escolheu livrar uns e outros não. Não sei o porquê dos livramentos, quando há, mas sei que é um mal grande às pessoas que perderam alguém ouvir que suas pessoas queridas não tiveram a benevolência de Deus.

    Salvação e caráter em Cristo Jesus.

sábado, 21 de agosto de 2010

Parusia

video


Banda: Rosa de Saron
Múscia: Parusia
    Essa música é de uma banda que gosto muito. Vale a pena conferir suas músicas. A maioria das letras são profundas, e, realmente, toca nossos corações. Essa música fala da segunda vinda de Jesus (parusia) e da nossa ansiedade na espera de Sua volta.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Questões Sobre Salvação

                                    

                                    

  
    Dúvidas sempre me vinham à cabeça. A questão soteriológica sempre ficou pertinente em mim. Como um homem pode ser justificado e salvo, se ele peca o tempo todo? Não há como se negar, nós pecamos todos os dias. Por mais que busquemos ao Senhor, sempre pecamos. Como fazer para não errar o alvo até o dia em que morrermos? Depois de muitas meditações pessoais com o nosso bom Pai e nas Escrituras, percebo que não haverá um só momento em que não pecaremos. E o melhor. Não é por causa disso que seremos deixados no lado de fora (Mt 25:1-13).

    Analisemos três concepções soteriológicas divergentes que permeia toda a questão teológica sobre este assunto. Primeiro: Universalismo - Esta concepção visa que todos os seres humanos serão salvos por Deus, portanto, segundo essa concepção, o sacrifício de Cristo foi exatamente completo e eficaz. O ser humano sempre pecará, mas, no final de tudo, ele será justificado pelo novo Adão (Rm 5:17-19). Segundo: Calvinismo - Para estes, Deus elegeu, antes da criação do mundo, aqueles que iriam ser salvos (Ef 1:4,5), sendo assim, aqueles que não foram eleitos irão para a perdição eterna. O sacrifício de Cristo só foi para os eleitos. Terceiro: Arminianismo - Esta corrente soteriológica afirma que Cristo morreu por todos e quer que todos sejam salvos (1 Tm 2:3,4), mas o ser humano tem a escolha de querer se aproximar de Deus ou não (Gn 4:7).

    Depois de analisarmos estas três principais correntes sobre a salvação humana, podemos perceber algo mais. Não gosto de me posicionar, porque isso é muito complexo, mas exporei o que penso, e, vocês, leitores, exporão as suas também. Penso que não é por nossos esforços de não pecar que somos justificados por Jesus. Como escrevi acima, por mais que não tentemos pecar, sempre pecaremos (1 Jo 1:10), não há ninguém nesta Terra que nunca pecou, a não ser o Filho de Deus (2 Co 5:21). A Bíblia, em Romanos 7:15-25 nos diz que há uma luta. Nós, que somos conscientes de nossa imperfeição e carência de Deus, não fazemos o que desejamos, mas sim o que odiamos. Somos cônscios do erro que cometemos, mas, cometemos. Há pessoas, que se dizem cristãs, que pecam voluntariamente, sabendo e não tendo receio algum que está pecando. Com isso, em Hebreus 10:26,27 nos diz que, para tais pessoas, não resta sacrifícios pelo seus pecados, isso, se morrer sem o reconhecimento de que está no erro. Se alguém peca, mas sempre luta para não pecar, perdendo batalhas e ganhando também, reconhecendo que é pecadora e carente da Graça divina, sua justificação é certa.

    Com tudo isso enfatizo o fato de que Deus amou primeiro o homem, se tornando aberto àqueles que percebem seu amor. Não há completamente nada que possamos fazer para sermos salvos, somente isso, reconhecer que somos pecadores e, que, mesmo pecando e lutando contra o pecado, sua Graça no justifica por meio de Seu Filho, morto e ressuscitado.

Salvação e caráter em Cristo Jesus!

     

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Minhas insatisfações evangelicais


    Como disse em alguma postagem anterior, não gostaria mais de escrever algo que possa denotar polêmicas. Mas é que não consigo ficar sem me indignar com certas coisas que acontecem no meio que amo tanto, o meio cristão evangélico. De uns anos para cá, não suporto ouvir certas pregações de certos pastores e não consigo entrar em certas igrejas. Dá-me logo uma sensação de mal-estar profundo e desejo que o tempo passe logo. Não consigo ocultar meus posicionamentos. Como não sou um líder evangélico (muitos ao falarem o que pensavam foram ex-comungados por evangélicos fundamentalistas), exporei algumas indignações, e sem receio nenhum de compartilhar aqui neste blog.
    São tantos inconformismos meus que começarei a abordar no que me vier à mente. Primeiro, queria dizer sobre Morris Cerullo (darei nome aos bois). Esse senhor é totalmente descreditado nos Estados Unidos e sempre está por aqui nos arraiais pentecostais brasileiros propagando sua unção financeira. O incrível é que o pentecostalismo está se tornando neo-pentecostalismo de uma maneira absurda. A ênfase nos dons de cura e glossolalia não tem mais espaço, pois a unção financeira ou da prosperidade tomou de conta dos arraiais pentecostais. Esse cidadão, Cerullo, comprou os despojos milionários do, hoje renovado, Jim Bakker (um grande tele-evangelista que tornou-se milionário por fraudar seus fiéis nos anos 80 e ficou estigmatizado por ser pegue com prostitutas) e por onde passa arrecada cifrões para seu bolso "ungido". De onde ele tirou essas unções? Com certeza não foi do Evangelho que fala que o Dono do mundo nasceu numa manjedoura, viveu a grande maioria do tempo no meio dos pobres e morreu sem ter coisa alguma de bens materiais.
    Outra coisa que me indigna é a busca de "poder" que muitos evangélicos anseiam. O poder que se aborda nas Escrituras não tem nada a ver com o "poder" de livramentos e de segurança que muitos querem. O poder escriturístico nos impulsiona a levar os valores do Reino a todas as pessoas. Deus pode livrar, proteger, blindar, seja lá quem for, mas não temos que pedir isso. As contingências fazem parte do nosso dia-a-dia. Devemos pedir Sua presença todos os dias, não Sua proteção. Muitos cristãos não entendem o que é essencial.
    Quero salientar que sou um cristão evangélico e sempre serei. Não deixarei de me considerar evangélico por causa de certos pagãos que pensam estar no Evangelho. Os valores do Reino são tão belos e simples que esses lobos vorazes querem torná-los feios e complexos. Não gostaria que nenhum leitor deste texto pense que tenho ódio de tais pessoas relacionadas, não tenho ódio de ninguém, o Evangelho que prego é o Amor, mas me apiedo e os denuncio, para que o Reino seja preenchido com mais e mais filhos adotivos do nosso bom Pai. Posteriormente, pensarei em colocar mais insatisfações evangelicais.

    Salvação e caráter em Cristo Jesus

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Ortodoxia diferente de Fundamentalismo




     É preciso distinguir fundamentalismo de ortodoxia, pois os dois podem tanto andar juntos quanto separados. O ideal é que a ortodoxia esteja separada do fundamentalismo, pois este é extremo em todos os seus aspectos. Os fundamentalistas pensam que somente eles estão certos, eles nunca voltam atrás de suas opiniões. É difícil até de conviver com eles, pois não nos deixam duvidar e nem discordar de seus posicionamentos.

    A ortodoxia cristã protestante declara as doutrinas mais bíblicas e sistematizadas de todas as escolas teológicas (as outras são o liberalismo e a neo-ortodoxia). Em síntese, dessas escolas podemos afirmar assim: os ortodoxos creem na inerrância da Bíblia, num cumprimento mais restrito à moral cristã na sociedade e numa fatigante sistematização de doutrinas; os liberais são o extremo dos ortodoxos, eles propagam que a Bíblia contém certos equívocos, a ciência e a tecnologia são tidas como avanços da sociedade em detrimento da fé, e da humanização da interpretação bíblica; por fim, os neo-ortodoxos são um meio de equilíbrio entre os ortodoxos e os liberais. Afirmam que a Bíblia é exata quando nos fala acerca da salvação, desconsiderando alguns eventos tidos como históricos pelos ortodoxos. Tratam os valores cristãos como essenciais para a propagação do Evangelho na sociedade e não são sistemáticos fatigantes quanto os ortodoxos.

    A questão é que dá para ser ortodoxo sem ser fundamentalista, pois radicalizar costumes e defender "verdades absolutas" sem amor não promove atração de não cristãos ao Evangelho, mas sim, repulsão. Um fundamentalista interpreta a Bíblia, geralmente, com ódio aos não cristãos, como justificar os ataques ao Iraque e ao Afeganistão como guerra contra os ímpios, esquecendo que isso eram características do povo de Deus antes da Graça em Cristo Jesus. O ortodoxo não fundamentalista vai ver que uma guerra dessas não é algo que consentiria.

    Fundamentalistas são fariseus modernos nos dias hodiernos. Ortodoxos são cristãos que querem, simplesmente, que as doutrinas essenciais do cristianismo sejam levadas a sério. Podemos ser ortodoxos fundamentalistas ou ortodoxos não fundamentalistas, basta usar o amor que vem de Deus para escolher qual dos dois é o certo.

Salvação e caráter em Cristo Jesus

domingo, 1 de agosto de 2010

Quem é Ele?

    Penso que as músicas que gostamos podem nos identificar perante os outros. De alguma forma isso é notório. Então postarei, em postagens intercaladas, letras de música que gosto muito de ouvir com comentários meus abaixo. A maioria imensa são de bandas de rock cristão. Sempre gostei de rock, desde os meus 11 anos de idade, e ainda gosto muito, principalmente com letras que me edificam nos valores do Reino. Vejam a primeira:

video



Banda : Resgate

Álbum: Jesus, Vida e Rock' n Roll
Ano: 1991
Música: Quem é Ele

Quem é Ele?
Eterno soberano sobre todos os mortais
Quem é Ele?
A verdade vem marchando, vem marchando sobre nós
Quem é Ele?
Por mais que os anos passem nunca passam suas leis
Quem é Ele?
Pela sua morte fomos livre de uma vez
Lembre-se dos filmes
Em que o crime não compensa
Todas as loucuras
Têm as suas recompensas
Tudo tem o seu avesso
A vida tem a morte então
Jesus pagou seu preço
Pra desvirar a situação
Pelos culpados
Morreu o sangue do imortal



Quem é Ele é uma pergunta que demonstra admiração quando notamos a majestade de Deus. Sempre me pergunto quem é Ele. Não há quem seja maior do que Ele, a Verdade que sempre está acima de qualquer verdade. Seus valores nunca hão de passar, pois são eternos e necessários a quaisquer culturas e tempos. Ele morreu a nossa morte, não havendo mais condenação para os que estão nEle. Se até em f icções o mal não resiste, quanto mais diante do Deus vivo! O sangue da imortalidade tornou mortal para sermos imortais como Ele, dando-nos uma nova vida.

*Texto inspirado na letra da música acima.

Salvação e caráter em Cristo Jesus

sábado, 24 de julho de 2010

A Ilusão da Pós-Modernidade



    A vida sem Cristo é uma ilusão completa. Tudo o que estamos vivendo somente faz sentindo se os valores eternos da Graça divina estiver presente no viver de cada ser humano. Todos os prazeres que desejamos e sentimos, por si só, nos levam a pensar que a vida se resume simplesmente a isso. Satisfazer nossos desejos, irmos atrás de posição social e pronto, já nos realizamos nesta vida, é um pensamento corriqueiro em muitas pessoas. Mas não! Não é isso. Tudo o que está em nossa volta tem que servir para nos conduzir à felicidade,  e esta só pode ser alcançado em Deus. Ele criou todas as coisas como boas, e elas nos direcionam a Ele, mas, nossas inclinações distantes da Graça divina, confundem os prazeres como um meio de se chegar a Cristo como sendo esses prazeres um fim em si mesmos.

    A Europa, alicerçada numa cultura cristã de vários séculos, está se tornado pós-cristã. Muitos europeus desconsideram o cristianismo como sendo o caminho que se pode chegar a Deus. Mas, por incrível que pareça, um dos motivos por isso está acontecendo na Europa, é devido ao fato de, desde o início do século XX, pastores e padres pregarem um evangelho humanista e seguindo ideias teológicas liberais. O Evangelho foi relativizado, o pecado perdeu a ênfase e o materialismo tornou-se a prioridade da vida. Sendo assim, os cristãos europeus, saciados com o que têm e crescerem sem  essas noções cristãs, não se importam mais com o cristianismo.

    Ou voltamos à ênfase nos valores cristãos no nosso país, ou, infelizmente, o péssimo exemplo europeu nos atingirá. Ainda os americanos como um todo, têm esse contato com os valores de Cristo. Empenhemos em propagá-los com diligência e contundência. Temos que testemunhar sobre  Aquele que é o motivo da nossa vida.

Salvação e caráter em Crsito Jesus

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Jesus e as criancinhas



    As crianças me fascinam pela singeleza e leveza que elas possuem. São tão amáveis e cheias de todo brilho. Não há como não se encantar por elas. E o nosso bom mestre sabia exatamente disso. Ele propagou que para entrarmos no céu, deveríamos ser como crianças, cheios de alegria, capacidade de perdoar fácil (se uma criança briga com outra, depois de meia hora já a convia para brincar novamente), total dependência, dentre outras coisas mais.


    O interessante do nosso bom Mestre é que ele disse que basta sermos como crianças para o encontrarmos e vivermos o Seu Reino, não como sábios e cultos de qualquer período no tempo. Frisando que não precisa ser uma condição primeira para encontrá-lo, isso não quer dizer que é para descartarmos o conhecimento intelectual. Não é isso. O que Jesus nos disse é que isso (o conhecimento intelectual) é secundário à singeleza de espírito, como numa criancinha.


   Em um outro texto nosso bom Mestre nos diz que temos, novamente, de sermos singelos e simples como os pequeninos, pois: "Por aquele tempo, exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos" ( Mt 11:25)


    Como é bom sabermos que nosso Mestre busca aqueles que são parecidos com as criancinhas. Devemos ser como elas, caso queiramos ser íntimos dEle.




    Salvação e caráter em Cristo Jesus

sábado, 17 de julho de 2010

A Solicitude do nosso bom Pai



    Em muitas ocasiões sou muito ansioso. Quero que as coisas aconteçam logo, pois fico inquieto. Se não for agora, tenho que me distrair com algo para que a ansiedade passe. Minha mãe sempre fala que quando eu coloco algo na cabeça, tem que ser feito na hora, ela reclama muito sobre esse meu defeito. Confesso, sou ansioso.


    Mas existem pessoas que não conseguem dormir de tanta ansiedade (não sou assim). Planejam algo para suas vidas, mas se esquecem de viver, enquanto não se consuma o planejado e, quando esse planejamento não acontece, ficam extremamente decepcionadas e tristes. É muito difícil até de conviver com pessoas assim. Dá para sentir o pesar na fala e companhia de tais pessoas.


    Paulo nos diz: "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.(Fp 4:6)


    Por fim nosso bom Mestre nos admoestaPor isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? (Mt 6: 25,26)


    Como na figura acima, tenho a impressão de que os animais irracionais são mais descansados no bom Pai do que muitos cristãos. Deus quer que despojemos toda nossa ansiedade nEle. Ele proverá muitas de nossas alegrias. Mas, lembrando que, para cristãos e não cristãos. Que Deus maravilhoso!


    
    Salvação e caráter em Cristo Jesus

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A palavra "Deus"

O Reino está entre nós. Somos agentes a serviço do nosso Pai. Temos o privilégio de propagá-lo no nosso viver, com nossa família, colegas de trabalho, faculdade, escola, amigos e vizinhos. Em muitas ocasiões, o propagamos sem mesmo dizermos que é o Reino de Deus.

A palavra Deus foi tão usada na história da humanidade que muitos não a suportam ouvir. É nosso dever fazer com que essa palavra seja escutada de uma outra forma. Servir, usando o nome de Deus, derruba todas as muralhas que impedem algumas pessoas de receber e se maravilhar com esse nome. Deus, Senhor, Pai, são nomes mais usados pelos cristãos.

Que os não-cristãos e os cristãos sem convicção possam, através de nossas palavras e ações descobrirem a magnificência de Deus. Não saber o que é a Graça divina é não saber que Deus é Pai, pois não tendo conhecimento dela, Deus é percebido como um tirano. Deus permitindo crimes, violência, desastres parece mais como um déspota do que como Pai. Mas, porque não se pensa que Ele não fez isso, mas sim a humanidade? Alguns ainda indagam: "mas Ele permitiu", se assim não fosse, seríamos manuseados, não agiríamos por vontade própria. Ele quer que vivamos com Ele, não que aquele que esteja com Ele seja beneficiado de algo.

O nosso bom Deus quer o melhor para nós, mas, não interferirá em muitas ocasiões. Em algumas sim, mas em outras não, e além do mais, não saberemos o porquê dEle interferir somente em algumas. Mas descansemos. Ele sabe o que faz.


Salvação e caráter em Cristo Jesus.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

A Graça divina e a Justificação

Não há beleza maior do que a Graça de Deus em nossa vida. Saber que somos tão ruins ao ponto de Deus vir à Terra em forma humana, tendo um corpo de verdade para nos redimir, é motivo de bastante alegria para mim. Não há como compreender isso. Só pode ser Amor mesmo. Falar da Graça divina é ficar inquieto de tanta felicidade. Precisamos tê-la mais na nossa mente.

Com a Graça divina vem outra palavra que me deixa transbordando de alegria; justificação. Ao saber também que sou justificado de tudo que me separava de Deus, sinto-me muito agradecido pelo Senhor do universo. Não importa o que eu fizer, serei olhado com Amor divino. Não há outro Deus que não seja Jesus Cristo, homem e Deus, ao mesmo tempo. Ser justificado é Deus tomando as nossas dores de um modo extremamente humilhante na época da vida terrena de Jesus. Isso Ele fez por cada povo desta Terra. Que maravilha!

Pregar esse Evangelho é sensacional. Não quero confundir esses dois conceitos sublimes com nenhum outro. Minha oração ao Senhor é para que esse Evangelho seja pregado pelo mundo todo. Nada de partidarismo e desvios de Sua mensagem principal. Esforcemo-nos para difundi-lo com mais eficácia. Jesus deve ser proclamado como o Senhor de nossas vidas.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

sábado, 29 de maio de 2010

Igreja Institucional

Não pretendo ser pesado no falar. O que exporei aqui é o que percebi nessa minha caminhada cristã. Foi no cristianismo protestante onde dei os meus primeiros passos para uma vivência linda com Jesus de Nazaré. Minhas raízes de fé são fincadas no protestantismo. Antes, era um simples católico-romano nominal sem convicção alguma em ir a uma missa. No entanto, creio sim, que existem católico-romanos e católicos-ortodoxos que têm uma vivência com Jesus.

Refletindo e meditando sobre a instituição cristã, constato que tudo que é malévolo há nela. Algo que se torna institucional visa sempre a ordem antes do que a vida. Machiavel fala da horrenda instituição em geral.“Não há empresa (tarefa) mais difícil de conduzir, mais incerta quanto ao êxito e mais perigosa, do que a de introduzir novas instituições. Aquele que nisso se empenha tem por inimigos todos quantos lucravam com as instituições antigas, e só encontra tíbios defensores naqueles aos quais as novas se aproveitam”.

Vi muitos sacerdotes que colocaram pessoas e até mesmo suas famílias em segundo lugar para dar prioridade à igreja. Será que é isso que deve ser? Em um ministério da igreja, líderes são altamente intransigentes para o bom funcionamento do ministério e ignoram pessoas.

Nunca falarei mal da Igreja de Cristo, que é santa e imaculada. A Igreja é a noiva de Cordeiro sim. Não sou louco de falar mal desta igreja, mas sim da outra, já mencionada. A Igreja somos todos nós que nos reunimos em Espírito e em Verdade. Há pastores e mestres sim, mas sem pretensões hierárquicas.

A Igreja de Cristo é gloriosa.

Espero que tenha me feito compreender.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

domingo, 23 de maio de 2010

Minha caminhada cristã até os dias hodiernos

Sou cristão evangélico a quase oito anos, consequentemente, posso falar desse segmento do cristianismo que admiro muito. Tenho 24 anos e me “converti” (uso aspas pelo fato de não atrelar conversão à adesão a um ramo cristão ou religioso) a Jesus Cristo quando tinha 16 para 17 anos de idade. Sempre fui muito interessado por questões religiosas, debatendo posições de crença seja na escola ou num círculo de amigos.

Como bom católico-romano fui batizado e fiz primeira comunhão. Mas o fiz somente por ir, achando que era imprescindível, pois isso era o certo a se fazer (pensava eu). Porém os anos passaram e comecei a ter auto-crítica para com as coisas ao meu redor. Entrei na crisma para entender sobre o que dizia a igreja Católica Romana sobre diversas indagações que eu tinha, pois havia escutado certos evangélicos e queria um parecer da minha vigente igreja. Porém, não logrei êxitos em meu intento. Cheguei a me crismar, no entanto, não tendo achado respostas nas minhas indagações, no dia seguinte da minha crisma tornei-me um agnóstico. Pensava que Deus existia mas nenhuma religião tinha o pleno conhecimento dele (hoje creio assim, mas não sou agnóstico). Foi aí que, no 3º ano do ensino médio, estudei com muitos evangélicos que foram decisivos na minha “conversão”. Em setembro de 2002 tornara-me evangélico.

Em todos esses anos, sempre questionador, não me comprazia com algumas características pentecostais estando em uma igreja pentecostal. Constantemente com esse dilema não fui para nenhuma igreja tradicional, pois tinha muitos amigos naquela igreja e, para mim, a amizade é maior do que crenças religiosas ou teológicas. Passados alguns anos entendo o pensamento do pastor-presidente dessa igreja e concordo em diversos pontos com ele. Essa igreja, porém, não concorda com ele e se emancipa, juntamente com outras, dessa denominação evangélica. Como concordava (e ainda concordo) com os pensamentos desse pastor, fui congregar-me em outra igreja da mesma denominação do referido pastor. Nos mais de dois anos que passei nessa nova igreja, não me senti em casa, devido a não achá-la convergente, em plenitude, com os pensamentos do pastor mencionado, então saí. Daí, no começo deste ano (2010) estou numa congregação fundada por amigos-irmãos meus, onde não a encaro como uma igreja-institucional (na minha próxima postagem discorrerei sobre esse termo), mas sim como uma igreja original, onde todos são amigos e louvam a Deus com sinceridade, sem protocolos institucionais.

Essa é minha caminha cristã. A quem se interessar postarei mais sobre meus pensamentos, querendo, sempre, partilhar e interagir com os que me lêem.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Cristãos e "cristãos"

Não há como negar que existem cristãos que, ou se esqueceram, ou, realmente, praticam atos inadequados, voluntariamente, contra a sua fé. Conheço católicos e evangélicos que, simplesmente, fazem-me rever certos pensamentos sobre o cristianismo. Tratarei aqui sobre esses pensamentos.

Antigamente, até mais ou menos um ano atrás, tinha inclinação universalista, mas não o era. Inclinava-me a crer que Jesus morreu para que todos tenham a Vida, pois seu amor é atraente. No entanto, em decorrência de muitas elucubrações, chego à conclusão que não quero esse tipo de crença para mim. Primeiro, por essa corrente teológica não ter muita base bíblica e racional. Segundo, por ver muitos cristãos praticarem muitas perversões, que nem descrentes do cristianismo fariam. Confesso que às vezes tenho raiva desses ditos cristãos, mas, constato que eles só externam o que muitas vezes tem dentro de nós (lascívia, impureza, ódio, inveja, porfia...). Mas creio que externar é manchar o testemunho cristão. E isso é um “ai” para eles mesmo, como diz Jesus (Mt 1.8:7).

Por que muitos cristãos negligenciam tão grande salvação? Por que muitos cristãos vivem como ateus ( praticam atos detestáveis como se cressem que Deus não existe)? Por que? Não sei, mas tenho certeza de uma coisa nas Sagradas Escrituras; que uma vida consagrada ao Senhor nos levará a Ele. Pode ser até que o universalismo esteja certo, mas, certamente, essa ortodoxia que creio está.


Salvação e caráter em Cristo Jesus.

sábado, 1 de maio de 2010

Por que sou ecumênico?

Antes de mais nada, quero afirmar que sou evangélico convicto e defensor das doutrinas gerais do protestantismo. Creio que só Jesus Cristo é o mediador entre Deus e os homens. Professo, publicamente, que a Jesus, somente, seja dado glórias. Maria, na minha crença, foi simplesmente (escolhida) a mãe de Jesus, não mãe de Deus. Não creio no purgatório e nem possuo imagens de escultura (mas acho certas pinturas católicas extremamente belas).
No entanto, há, entre protestantes, quem não concorde que irmãos de outras denominações (protestantes) vá para a glória eterna. Comungo, em parte, com o Teísmo Aberto (Teologia Relacional), e vejo que muitos (a maioria absoluta sem entender) relegam tais simpatizadores de tal teologia ao vitupério. Arminianos não consentem que calvinistas conheçam o Amor e os esconjura. Pentecostais afirmam que tradicionais não são convertidos e estes (tradicionais) chamam aqueles de "seita".
Diante de tudo isso dá para se afirmar que poderemos chegar a um avivamento na Igreja de Cristo sem deixarmos de levar em conta aquilo que nos separa? Será que podemos, juntos, unidos, proporcionarmos uma pregação das Boas Novas ao mundo todo? Sou evangélico e nunca deixarei de sê-lo, mas me esforçarei para que um anticatolicismo deixe de existir e o Evangelho seja anunciado.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

sábado, 24 de abril de 2010

A Liberdade e o Medo

Ler Rubem Alves é despertar-me de certos cochilos que me vêm de vez em quando. Acabo de ler um capítulo entitulado O Passarinho Engaiolado do livro Teologia do Cotidiano. O autor relata a história de um passarinho que vê a porta da sua gaiola aberta e voa para conhecer o mundo. Percebe que a liberdade lhe traz insegurança e medo. Medo de voar mais longe e não aguentar pela falta de prática, medo de aceitar o convite de uma passarinha para comer pimentas, medo de dormir numa árvore devido ao temor dos gatos e pedras jogadas por garotos. Fica temeroso diante de tudo isso e volta para a casa de seu dono e encontra, aliviado, a gaiola aberta e entra. Seu dono vem e o chama de bobo por não ter aproveitado e tornado-se livre.

Muitíssimas vezes somos como o passarinho da história de Rubem Alves. Ficamos com medo da liberdade que temos, querendo estar seguros, sem ter coragem de voar mais alto, receoso por não ter prática. Mas como ter prática sem praticar? Não aceitamos nos aventurarmos com alguém como medo de dividir seu medo. Medo de se arriscar. A liberdade é algo que nos traz insegurança. Quem não quer segurança? Quem não quer estar imune a tudo? Muitos não oram a Deus pedindo livramentos na vida? Sim, é o preço da liberdade. O infortúnio. Não devemos orar para que Deus nos livre dele, mas sim que estaja conosco passando por ele. A coragem vem após a liberdade.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Paradoxos de uma humanidade caída

A humanidade sempre será paradoxal. Em todos os momentos da história humana houve atos impensados que prejudicaram a todo um grupo de pessoas, ou, o pior, à própria pessoa que cometeu tal ato. Não conseguimos medir o tamanho de nossos feitos catastróficos. Realmente o ser humano é um paradoxo sem fim, por mais que queira fazer o bem, só consegue, na maioria das vezes, fazer o mal. Quem não já tentou sempre fazer o bem? Quem não já tentou sempre agradar o próximo? Muitas vezes, não? Mas, quantas vezes, consumados foram o inverso? Mesmo no âmbito do pensamento. Será que foi a menor parte dos nossos pensamentos o desejo de morte para alguém? Ou mesmo,o desejo de nunca mais ver qualquer pessoa, que é a mesma coisa de ver sua morte? A vida humana é uma contradição sempre. Queremos algo agora, mas daqui a uma hora podemos querer outra coisa completamente diferente. Principalmente quando nosso corpo quer o que nosso espírito não quer. A contenda entre eles é tão grande que nos prejudica. Mortificar a carne é essencial à quase tudo, exceto contra a sensualidade. Com isso é muito difícil haver mortificação carnal.

Os justificados não veem a hora quando os nossos corpos se transformarão de corruptíveis para incorruptíveis. Não haverá mais paradoxos rondando nosso ser, nem qualquer remorso ou arrependimento. Dor, traição, inveja, ódio e demais aspectos caídos não estarão inerentes ao ser humano. Agrada-me tanto saber disso! mas, porque deslumbro a maravilha desse estado que os justificados estarão eternamente. Faremos sempre o que quisermos fazer, pois agora ainda somos que meio escravos da carne, não em deliberação, mas nos seus resquícios que são muito presentes.

Jesus veio como homem para, justamente, resgatar a coerência na humanidade. Através de sua vinda temos a certeza da regeneração. Por re-generação, entendemos que no começo da criação a humanidade estava em conformidade com Deus. No entanto, desejamos voltar ao ponto inicial, onde havia uma plena comunhão com o Pai. Esse dia virá.

O reino e os escândalos


Em meio a tantos escândalos que, geralmente, ouvimos e lemos acerca de pastores, líderes evangélicos e, mesmo, membros, sinto-me cansado diante de tais revelações. Não tenho mais algum interesse em ouvir ou ler qualquer "disse-me-disse" de uma ou outra pessoa, quem quer que seja.

Cansou-me ter que comentar sobre um recebimento de propina por parte de um deputado evangélico, acerca de um pastor que sonega impostos, dentre tantas outras imoralidades que, infelizmente, há no nosso meio. Não nego e nem defendo tais iniqüidades. Digo a qualquer não-salvo que certos líderes evangélicos fizeram certas picaretagens. Mas lhe digo também que os que seguem, verdadeiramente, a Cristo Jesus, procuram andar conforme ele pregou, não somos impecáveis, mas procuramos não ser. Não encoberto, mas não me calo.

As polêmicas, a partir de agora, não estarão mais nas minhas conversas públicas, pois me proponho a somente pregar o evangelho, nada mais. Os apóstolos, tão pouco Jesus, entravam em qualquer espécie de assuntos polêmicos. O que havia eram respostas a certas heresias que se tornaram polêmicas em conseqüência de serem endereçadas a hereges. Concluímos que as polêmicas nas Escrituras eram circunstanciais, não, propositais.

O meu conselho, baseado nas Sagradas Escrituras, é que não desperdicemos nosso precioso tempo em discussões inúteis e pueris que só nos causam desânimo e decepções. Temos sempre que termos em nossa boca salmos e hinos para engrandecermos ao nosso Senhor, preocupados em transmitir do seu amor em todo lugar. Há muita coisa que se fazer ainda em prol do Reino. Existem muitos caminhos a serem percorridos, muitas pessoas a serem enviadas a lugares longínquos com a sublime missão de levar a Salvação àqueles que anseiam em tê-la, muitos pastores e líderes para conduzirem o rebanho ao Pasto verdejante.

Jesus virá novamente. Não houve um momento tão propício para levarmos e praticarmos suas palavras como nos dias hodiernos. O mundo clama, os corações palpitam, os anjos anelam em ver os filhos de Deus anunciar tão grande Redenção a toda humanidade. Não percamos tempo em trivialidades e questiúnculas que não nos edificam em nada. Anunciemos o evangelho.

Salvação e caráter em Jesus, o Cristo.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Nascer de Novo X Impecabilidade

Muitos confundem nascer de novo com incorruptibilidade. Com esse pensamento pode-se haver uma auto-reprovação, supondo que não se pode mais ter tendência para pecar, pois eis que tudo já se fez novo. No entanto, não é essa a interpretação adequada. A humanidade caída ainda estará sempre conosco. A transformação dos nossos corpos não é no momento da nossa conversão. Isso não está registrado em nenhum lugar nas Escrituras. Vejo que há muita ignorância em alguns nesse aspecto. Muitos fazendo essa confusão por não ler as Escrituras. É até normal esse pesar pela falta cometida, mas não é normal sentir isso e atribuir que não se nasceu de novo. Jamais devemos pensar assim.

O fato de nascer de novo é não ter mais uma consciência cauterizada, mas, renovada. Devemos nos lembrar que é nossa consciência, nosso entendimento que se renova, não, nossa situação de queda. Somos conscientes que precisamos cada vez mais da presença de Jesus na nossa vida, devido ao fato de nossos corpos ainda estarem corruptíveis. Não devemos pecar deliberadamente, como o escritor aos Hebreus nos alerta. Nascer de novo é desfrutarmos do caminhar com o Senhor em nossa jornada. É entendermos que, infelizmente, pecaremos ainda, mas todos os nossos pecados não serão mais levados em conta para o tribunal celestial, pois o sangue do Cordeiro de Deus nos justificou. Não há mais qualquer condenação para os justificados.

Desfrutemos do novo nascimento sabendo que sempre será novo. Por mais que se passem os anos, sempre será novíssimo. A caducidade não existe no que é divino. A impecabilidade ainda não nos veio, mais o novo nascimento, que é maravilhoso, sim.



Salvação e caráter em Critso Jesus